Arquivo para 6 de outubro de 2009

06
out
09

Premio Nobel de Física vai para Charles Kuen Kao

A Real Academia Sueca de Ciências anunciou nesta terça-feira (6) em Estocolmo, Suécia, que o Prêmio Nobel de Física foi concedido a Charles Kuen Kao por suas pesquisas sobre transmissão da luz através de fibras para fins de comunicação óptica. Ele receberá metade do prêmio de 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 2,5 milhões). Nascido em Xangai em 1933, Kao foi educado em Hong Kong. Graduou-se em Engenharia Elétrica em 1957 na Universidade de Londres, mesma instituição em que concluiu seu doutorado. Ele era diretor de engenharia da Standard Telecommunication Laboratories, em Harlow, Reino Unido. Aposentou-se em 1996.

A outra metade será dividida por Willard Sterling Boyle, nascido no Canadá em 1924, e George Elwood Smith, nascido nos EUA em 1930, pela invenção em 1969 de um circuito semicondutor para imagens, chamado sensor CCD (de Charged-Coupled Device). O sensor viabilizou uma vasta gama de novas tecnologias, desde as câmeras fotográficas digitais portáteis até a captura de imagens do espaço que abriram um novo campo de pesquisa em astrofísica. Novas aplicações surgiram também na medicina, com as microcirurgias. Boyle e Smith trabalhavam nos Laboratórios Bell. O primeiro se aposentou em 1979; o segundo, em 1986.

Com George Hockham, Kao foi o primeiro a mostrar a viabilidade do envio de luz através de fragmentos de vidro de alguns mícrons de diâmetro. Em junho de 1966, a dupla publicou o estudo “Dielectric-fiber surface waveguides for optical frequencies”, que se tornou referência no campo da comunicação óptica.

Estudo-marco em fibras ópticas foi publicado em 1966.
O comitê do Nobel chamou os três cientistas de “mestres da luz”, porque seus trabalhos permitiram “a criação de numerosas inovações práticas para a vida cotidina e contribuiram com novas ferramentas para a exploração científica”. O comitê afirma ainda que as descobertas de Kao “abriram caminho à tecnologia de fibra óptica que se usa hoje em quase todas as comunicações telefônicas e de transmissão de dados”.

Se alinhados, os cabos de fibra óptica instalados hoje dariam 25 mil voltas pela Terra.

06
out
09

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vai ser aplicado nos dias 5 e 6 de dezembro

Essa data foi definida pelo Ministério da Educação e será apresentada para o ministro da Justiça, Tarso Genro, na tarde desta terça-feira (6). O ministro da Educação, Fernando Haddad, quer a participação da Polícia Federal e da Força Nacional de Segurança na aplicação da nova prova do Enem. Haddad também vai pedir a Tarso que a PF avalie os procedimentos de segurança que serão utilizados.

Na segunda (5), o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Reynaldo Fernandes, anunciou que o contrato com o Connasel, consórcio responsável pela aplicação do exame que vazou na semana passada, foi rompido bilateralmente.

O Cespe, da Universidade de Brasília, e a Fundação Cesgranrio, segundo Fernandes, já aceitaram participar conjuntamente da aplicação da prova. Para tanto, deve ser assinado um contrato de emergência, sem licitação.

Ao todo, 68 universidades têm convênio com o MEC para usar os pontos do Enem no processo de seleção. O presidente da Andifes, Alan Barbiero, que representa instituições federais de ensino superior, disse que as universidades podem atrasar em 15 dias o início das aulas. Ele deixou claro, no entanto, que a decisão cabe a cada universidade.

06
out
09

Tratadora é morta nos EUA ao limpar jaula de urso

Estados Unidos

Uma mulher casada com um comerciante de animais selvagens foi morta por um urso quando limpava a jaula do animal na cidade de Allentown, no Estado americano de Pensilvânia.

Kelly Ann Walz, 37, jogara comida de cachorro para atrair o urso Teddy para um lado da jaula de aço e concreto, enquanto fazia a faxina do outro lado.

No domingo, entretanto, o urso, de cerca de 160 kg, reagiu à entrada da tratadora no seu espaço e a atacou.

Segundo o jornal The New York Times, os filhos acudiram e um vizinho, com uma arma, matou um urso.

Entretanto, a tratadora foi considerada morta na cena do incidente.

De acordo com os jornais americanos, a tratadora cuidava do urso desde o nascimento do animal, nove anos atrás.

Um porta-voz da comissão de animais selvagens da Pensilvânia disse a jornalistas que, normalmente, proprietários de animais selvagens possuem jaulas com dois compartimentos, o que permite isolar os animais em uma seção enquanto a limpeza é feita na outra.

Ele disse que a tática de Kelly Ann de distrair o animal com comida de cães foi “um erro fatal”.

06
out
09

Concurso premia melhores fotos de natureza

Galeria – Vida Selvagem
A exposição do prêmio Veolia 2009 será inaugurada no Museu de História Natural no próximo dia 23. A mostra reúne obras dos finalistas do concurso, esta foto, “Conversa de Bolhas”. (Foto: Paul Nicklen/Veolia Environment Wildlife Photographer of the Year 2009) 12345
Finalistas amadores e profissionais de um concurso de fotografias retratando a vida selvagem terão suas obras expostas no Museu de História Natural de Londres a partir do fim deste mês.

A exposição dos melhores trabalhos do prêmio Veolia Environment Wildlife Photographer of the Year 2009 será inaugurada no próximo dia 23 de outubro.

A mostra fica em cartaz em Londres até abril do ano que vem, quando as fotos seguem em um roteiro itinerante.

Ao todo, 95 fotografias receberão prêmios de finalistas e menções honrosas. Os vencedores serão anunciados no dia 21 de outubro, dois dias antes da abertura da exposição.

A competição do Museu da História Natural e da revista BBC Wildlife, que ocorre pelo 46º ano consecutivo, recebeu mais de 43 mil inscrições de fotógrafos de 94 países.

O prêmio é dividido em 17 categorias e há também uma premiação para dois vencedores gerais – um adulto e outro para jovens de até 17 anos.

Por causa do número crescente de visitantes curiosos para ver os trabalhos da premiação, neste ano o museu vai expor as fotografias em uma de suas maiores galerias.

06
out
09

China e países árabes planejam eliminar dólar do comércio de petróleo, diz ‘Independent’

Economia
Dólar ficaria de fora do comércio de petróleo

Os países do Golfo Árabe, junto a China, Rússia, França e Japão, estariam planejando substituir o dólar por uma cesta de moedas nas transações de petróleo, segundo reportagem do jornal britânico The Independent, publicada nesta terça-feira.

De acordo com o jornal, já foram realizadas algumas reuniões secretas com ministros das finanças e presidentes de bancos centrais, inclusive no Brasil, para discutir o plano.

As informações, no entanto, foram negadas por líderes árabes e russos, segundo a agência de notícias Reuters, e teria provocado queda na cotação do dólar.

Entre as moedas da cesta, estariam incluídos o iene japonês, o yuan chinês, o euro, ouro e uma moeda única – atualmente em estágio de planejamento – dos países do Conselho de Cooperação do Golfo, que inclui a Arábia Saudita, Abu Dhabi, Kuweit e Catar.

O jornal, no entanto, não explica como nem quando essa mudança teria lugar.

“Os planos, confirmados para o Independent por fontes bancárias chinesas e do Golfo Árabe em Hong Kong, podem ajudar a explicar a repentina alta do ouro, mas também são um presságio da extraordinária transição dos mercados em dólar dentro de nove anos”, afirma o jornal.

Os Estados Unidos devem reagir para evitar que isso ocorra, diz a reportagem, o que poderia render uma “guerra econômica entre EUA e China sobre o petróleo do Oriente Médio, mais uma vez tornando os conflitos da região em uma batalha para maiores poderes e supremacia”.

“O declínio do poder econômico americano ligado à atual recessão global já havia sido implicitamente reconhecido pelo presidente do Banco Mundial Robert Zoellick. ‘Um dos grandes legados desta crise pode ser o reconhecimento de mudanças nas relações de poder econômico’, disse ele em Istambul antes das reuniões desta semana do FMI e do Banco Mundial.”

Mas, segundo o Independent, foi o novo e extraordinário poder econômico da China – aliado à raiva dos países produtores e consumidores de petróleo com o poder americano de interferir no sistema financeiro internacional – que provocou as discussões envolvendo os países do Golfo.

“O Brasil demonstrou interesse em colaborar com pagamentos de petróleo em outra moeda que não o dólar, assim como a Índia”, afirma o jornal, para quem a China, no entanto, é a mais entusiasmada, principalmente por causa de seu enorme volume de comércio com o Oriente Médio.

Os chineses, inclusive, acreditariam que as discussões para a mudança de sistema já estão tão avançadas, que seriam irreversíveis, afirma a reportagem.

Editorial

Em editorial separado, o Independent afirma que a transição do dólar é o presságio de uma nova ordem mundial e reflete as mudanças na economia mundial.

“Não é difícil ver os motivos para que os exportadores de petróleo deixem o dólar: o valor da moeda americana caiu drasticamente desde a desaceleração do ano passado. E está aumentando o medo, por conta da crescente dívida pública americana, de que a moeda desvalorize mais ainda. Eles não querem vender suas mercadorias em troca de uma moeda cujo futuro é incerto.”

Segundo o editorial, até agora fazia sentido que o comércio internacional fosse feito em dólares, já que os Estados Unidos era o poder dominante e tinha transações comerciais com praticamente todos os países.

“Mas agora os EUA já não são o poder dominante de outrora. A crise financeira deixou o país atrelado a significativas dívidas domésticas e do governo e reduziu drasticamente as perspectivas de crescimento.”

O jornal lembra, no entanto, que a determinação da China em aumentar suas exportações a todo custo foi o maior fator da instabilidade econômica mundial nos últimos anos.

Os superávits comerciais e a manipulação de Pequim para manter o iuan desvalorizado forçaram os países ocidentais a incorrer em grandes déficits comerciais, e sua pressão teria contribuído para a crise financeira do ano passado, diz o editorial.

“Faz sentido mudar gradualmente do dólar para outras moedas. Mas sem o compromisso de governos mundiais – tanto de países ricos como em desenvolvimento – para reduzir os desequilíbrios desestabilizantes do comércio global, nós vamos entrar em uma nova era de incertezas, e uma que poderia fazer com que tivéssemos saudades dos dias das dominantes verdinhas”, conclui.

06
out
09

Ex-marido de astro de ‘Little Britain’ se suicida após deixar mensagem no Facebook

Grã-Bretanha

O comediante Matt Lucas e o produtor Kevin McGee após a cerimônia de união civil.
O produtor de televisão Kevin McGee, ex-marido do comediante britânico Matt Lucas, protagonista da série Little Britain, foi encontrado enforcado em seu apartamento, após deixar uma mensagem de suicídio no site de relacionamentos Facebook.

McGee, de 32 anos, deixou escrito em sua página na segunda-feira no site que achava “que a morte é muito melhor do que a vida”.

Três horas depois, alertada por amigos do produtor, a polícia de Edimburgo invadiu o apartamento.

McGee foi parceiro civil de Lucas, o comediante glabro que despontou para fama na Grã-Bretanha com os personagens que criou para Little Britain, série da BBC, co-estrelada por David Walliams e transmitida no Brasil pelo canal de TV paga HBO Plus.

Segundo a polícia, não havia circunstâncias suspeitas da morte, que está sendo considerada suicídio.

“A polícia foi chamada para um endereço em Bruntsfield Gardens por volta das 8 da manhã de ontem onde um homem de 32 anos foi encontrado morto”, disse o comunicado policial.

McGee e Lucas haviam se casado em 2006 em uma cerimônia civil que contou com convidados famosos, como o cantor Elton John. Os dois se separaram em 2008 e a união foi oficialmente terminada em janeiro deste ano.

Segundo um vizinho do produtor, ouvido pelo jornal britânico The Times, McGee não aparentava ter tendências suicidas e havia adquirido um cão labrador há um mês.

06
out
09

Encontrado um dos mais procurados suspeitos por genocídio de Ruanda

áfrica

Autoridades em Uganda anunciaram a prisão de um dos mais procurados suspeitos pelo genocídio de Ruanda em 1994.

Idelphonse Nizeyimana, que foi o chefe dos Serviços de Inteligência de Ruanda, é acusado de organizar o assassinato de milhares de tutsis – entre eles uma importante e reverenciada rainha.

Correspondentes dizem que Nizeyimana foi detido quando viajava da República Democrática do Congo para o Quênia com documentos falsos.

Segundo a polícia, ele já foi enviado para o Tribunal Criminal Internacional para Ruanda, baseado na Tanzânia, onde deve responder acusações de genocídio e crime contra a humanidade.

Cerca de 800 mil tutsis e hutus moderados foram mortos pelas milícias hutus durante 100 dias em 1994.

Nizeyimana foi o chefe das operações militares e de inteligência durante o período do genocídio e é acusado de ter criado unidades militares especiais que teriam ajudado na matança.

Uma dessas unidades teria assassinado a rainha Rosalie Gicanda, viúva do rei Mutara III.

Ele também é acusado de ter incitado e ajudado soldados a participar do genocídio.

O Tribunal Criminal Internacional para Ruanda – que julga os crimes cometidos durante o genocídio – não confirmou a prisão.

06
out
09

Justiça italiana inicia revisão de imunidade a premiê Berlusconi

Internacional

Premiê diz que imunidade permite que governe sem ser ‘distraído’ pelo Judiciário
O Tribunal Constitucional da Itália, a instância máxima do judiciário do país, iniciou nesta terça-feira uma revisão da lei que dá ao primeiro-ministro Silvio Berlusconi imunidade legal enquanto ocupa o cargo.

A lei permitiu que o premiê fosse excluído de vários processos judiciais, entre outras acusações, por corrupção.

A oposição diz que a imunidade viola o princípio da igualdade de todos os cidadãos perante a lei.

Se a Corte decidir pela inconstitucionalidade da lei, o primeiro-ministro ficará vulnerável a processos, em um momento em que escândalos pessoais vêm erodindo a popularidade do líder, afirmou o correspondente da BBC em Roma, Duncan Kennedy.

Assessores de Berlusconi dizem que, se perder a imunidade, talvez o premiê tenha de renunciar.

No entanto, analistas acreditam que isso é pouco provável, embora uma decisão contra Berlusconi possa deixá-lo enfraquecido.

Suborno

No ano passado, logo após Berlusconi ter assumido o poder, o Parlamento italiano aprovou uma lei dando a ele imunidade legal durante o período em que ocupar o cargo.

Na época, o premiê era alvo de vários processos, incluindo um em que foi acusado de subornar um advogado britânico, David Mills, para que desse testemunhos falsos a seu favor.

Em fevereiro, Mills, que se diz inocente, recebeu pena de quatro anos e seis meses por corrupção.

O caso teve repercussão na Grã-Bretanha porque Mills era casado com a ministra britânica Tessa Jowell, hoje ministra das Olimpíadas.

Agora, promotores envolvidos naquele caso e em dois outros processos apelaram para o Tribunal Constitucional dizendo que a imunidade coloca Berlusconi acima da lei e deve ser revogada.

Berlusconi diz que a imunidade permite que ele governe sem ser “distraído” pelo Judiciário.

Não está claro exatamente quando o tribunal vai anunciar sua decisão, embora especule-se na mídia italiana que uma resolução possa sair na quinta-feira.

Se a corte decidir que a lei é inconstitucional, os processos contra Berlusconi podem ser retomados.

06
out
09

O blá blá blá da fraude do Enem

Segundo o Estadão de hoje “o capoeirista e segurança Felipe Pradella, suposto mentor da fraude no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), atribuiu o vazamento das provas a “alguém humilde e sem influência na empresa” – referia-se à gráfica onde estavam armazenados os documentos. A informação consta do depoimento à Polícia Federal do empresário Luciano Rodrigues, dono de uma pizzaria nos Jardins, em São Paulo, que admitiu ter procurado jornalistas para comunicar sobre a violação do sigilo.

A PF suspeita que a citação a “alguém humilde” pode ser apenas um blefe do segurança, que se identifica como “Fábio”. Para a PF, o valor do prejuízo que o escândalo trouxe ao Tesouro – estimado em R$ 33 milhões por causa do cancelamento das provas do Enem – não tem reflexo no enquadramento criminal dos investigados. Na esfera penal o indiciamento independe do montante do prejuízo.”

Ao comentar o episódio do Enem com alguns educadores, um deles, o mais cínico com certeza e também o mais ponderado, joga essa reflexão: – Maria Odete, vc está acreditando que um zé ninguém faz uma jogada dessas prá levar uns trocos e ficar famoso? Isso é coisa de espionagem e espionagem cabeluda, da grande. E continuou: – A quem interessa o descrédito do Enem? Qual é a indústria montada e organizada por tras do vestibular? Não é a tal “indústria dos cursinhos”, não é ela que entraria em colapso se o Enem der certo ampliando o acesso a universidade sem essa intermediação de anos…etc.etc.etc. ?

Ao ver no Bom Dia Brasil de hoje o esquema de segurança no Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), coisa de filme americano e ver a fragilidade do sistema na ponta, quando as provas são levadas aos colégios por “seguranças”, coisa de chanchada brasileira, é que me pergunto quantas “indústrias” são beneficiadas com os milhões que o MEC investe no Enem (foram para o ralo apenas 35 milhões de reais nessa bobeada)…um dinheiro que restauraria uma imensidão de escolas brasileiras do Iapoque ao Chuí e que nos leva a refletir sobre o poder da “indústria pública” …sobre “todos os Enens” paralelos que ainda não descobrimos e que ainda serão descobertos.

Sabem aquele discurso da inclusão, da acessibilidade … tem hora que sinto raiva e nojo, me perdoem os termos chulos e reais, uma vez que no papel de mídia também acabo estimulando esse palavratório e na verdade a pergunta que me ocorre nessa manhã nublada de segunda seria: inclusão de quem cara pálida?

06
out
09

O próximo salto: pequenos empreendedores

Do Último Segundo
Coluna Econômica

Nas últimas décadas o Brasil logrou superar, um a um, diversos problemas estruturais que empatam seu desenvolvimento.

Montou políticas sociais eficientes, criou um novo mercado de consumo para as classes D e E; ampliou a classe média; abriu espaço para o crescimento de grandes grupos nacionais; consolidou uma estrutura de apoio à micro e pequena empresa, um sistema de inovação pronto para ser melhor utilizado.

Qual será o desafio do próximo presidente?

Para Daniel Vargas, Secretário Interino da Secretaria de Planejamento de Longo Prazo, o próximo passo será a consolidação de uma rede nacional de pequenas e micro empresas.

***

Não se trata se uma mera política setorial, mas algo com implicações profundas no próprio processo de desenvolvimento brasileiro.

O modelo passado era do crescimento a partir de setores organizados da economia, liderados por grandes empresas situadas em pólos industriais tradicionais, especialmente no sudeste.

Especialmente na década de 70, esse modelo permitiu índices substanciosos de crescimento. Os grandes iam na frente, desbravavam novos mercados e puxavam consigo a economia nacional. O Estado adaptava suas instituições para garantir e estimular essa lógica do desenvolvimento nacional.

***

Nos últimos dez anos modelo começa a mudar, devido a uma conjugação de fatores. 1º Com inovação tecnológica, muito difícil acompanhar, se manter na fronteira tecnológica em todas as etapas. Tendência natural é de terceirização para pequenas e médias empresas, garantindo apenas a parte essencial do processo de produção.

2º Nos últimos dez anos começa a surgir uma multidão de novos empreendedores, situados não nos centros tradicionais, no nordeste, norte, interior do Brasil, periferia. É uma revolução silenciosa.

***

O que gerou o ambiente favorável foi uma combinação de fatores: acesso a crédito, transferências sociais, aumento real do salário mínimo. O novo mercado de consumo abriu espaço para a nova geração de pequenos empreendedores, provocando não apenas mudanças sociais e econômicas, mas culturais e políticas.

***

Em Picos, sul do Piauí, pessoas simples, sequer com o segundo grau completo, conseguiram desenvolver tecnologia para processamento de mel e exportação em escala competitiva com grandes empresas internacionais.

Existe uma cooperativa de cooperativas que faz as vezes de empresa âncora, com o apoio do Estado. Investe no desenvolvimento das práticas de produção e na própria tecnologia para processamento de mel e exportação. Toritama, Pernambuco, próximo a Caruaru, já é dos principais pólos têxteis do país, com dezenas de milhares de pequenos e médio empreendedores se associando em cadeias, produzindo jeans que são revendidos para todo o país e para as principais grifes europeias.

No Piauí e em Sergipe, o programa econômico está fundamentalmente voltado para atender à demanda dos pequenos empreendedores emergentes.

***

Com seus programas sociais, o governo Lula deu pão – passo essencial de inclusão social. O próximo governo terá que atender às novas demandas dessa nova cidadania.




outubro 2009
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031