Posts Tagged ‘Enem

13
out
09

A alucinação e a obsessão

Do blog do Alon:

O governo encontrou um meio para tirar o corpo fora da confusão em torno da fraude no Enem, o Exame Nacional do Ensino Médio. Pôs para circular uma teoria da conspiração, segundo a qual o vazamento e o escândalo teriam sido armados por gente interessada em prejudicar politicamente Luiz Inácio Lula da Silva e o PT. É uma teoria e tanto.

Esse meu lide pode ser criticado? Pode, e o governo tem os meios para mostrar que estou errado, que ele é vítima e não algoz no caso do Enem. Quando o presidente da República diz algo assim grave espera-se que as palavras sejam seguidas por atos. Então, de duas uma: ou o Palácio do Planalto prova que houve mesmo a tal conspiração, ou então concluiremos que alucinações pretenderam servir de biombo para a simples incompetência.

Incompetência movida a ambição, a que faltou a necessária prudência. Ambição sem prudência é um perigo. Qual a necessidade de fazer as coisas no atropelo? Só mesmo o desejo político dos personagens envolvidos, para quem 2010 poderia ser tarde demais para retirar da iniciativa o máximo de dividendos eleitorais. No fim, deu tudo errado. Como gosta de dizer o próprio Lula, mais uma vez a pressa acabou sendo inimiga da perfeição.

Mas, se a trapalhada do Enem foi um gol contra, o Planalto prepara na área social um passo importante à frente. Consolidar os programas sociais (todos, não apenas os de Lula) num código legal, a exemplo do que a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) fez com os direitos trabalhistas, no governo Getúlio Vargas. O presidente responde com isso a uma das principais críticas a ele: de que não teria se preocupado em institucionalizar avanços, especialmente nas políticas voltadas aos mais pobres.

Não que haja preocupação real com a eventual revogação das ações numa possível troca de guarda em Brasília. Essa é outra conversa que deve ser debitada unicamente na conta da eleição. O Estado repassar dinheiro aos pobres, direta ou indiretamente, pelos mais variados meios, virou dogma de administração pública no Brasil.

O que Lula deseja mesmo é uma marca histórica permanente no campo social. É a busca obcecada por um legado que não se desmanche fácil com a passagem do tempo, busca que é um traço estrutural nas atitudes do presidente da República nos últimos tempos.

Não tivesse o governo qualidades, não teria a aprovação medida em todas as pesquisas. Só que um dos principais ativos políticos de Lula é a figura dele próprio. Eis uma curiosidade: como o governo Lula será avaliado quando o presidente não mais tiver as câmeras e microfones à disposição para o autoelogio? Não estranha que ele esteja empenhado em adiar ao máximo a chegada do futuro. Mesmo quando faz isso indiretamente. Como na eleição que vem aí.

08
out
09

Quatro universidades federais e 12 estaduais remarcam vestibulares por causa do Enem

Amanda Cieglinski
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Pelo menos 23 instituições, inclusive particulares, decidiram adiar ou adiantar seus vestibulares para que eles não coincidam com a nova data escolhida pelo Ministério da Educação (MEC) para realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As provas foram remarcadas para os dias 5 e 6 dezembro porque o exame previsto para os dias 3 e 4 de outubro vazou e teve que ser cancelado.

De acordo com balanço divulgado pelo MEC, a Universidade Estadual de Londrina (UEL), que tinha vestibular marcado para o mesmo dia, pretende fazer sua prova em horário diferente ao do Enem.

Já nas Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), onde os vestibulares também coincidem com o Enem, os reitores se manifestaram a favor de um adiamento de seus processos seletivos, mas levarão a decisão para os seus conselhos universitários. A Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG) não decidiu se adiará seus exames.

Os institutos federais que também tinham provas marcadas para a mesma data do Enem já alteraram seus calendários. Cerca de 4,1 milhões de estudantes estão inscritos para participar do Enem.

Confira as instituições que já mudaram o calendário e as novas datas de seus vestibulares:

Federais

Universidade de Brasília (UnB): 12 e 13 de dezembro (provas do Programa de Avaliação Seriada)

Universidade Federal do Ceará (UFC): 13 e 14 de dezembro

Universidade Federal de Sergipe (UFS): ainda não definiu a nova data

Universidade Federal de Uberlândia (UFU): ainda não definiu a nova data

Estaduais

Universidade Estadual do Amazonas (UEA): 7 e 8 de dezembro

Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG): 20 de dezembro

Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS): 13 de dezembro

Universidade Estadual da Bahia (Uneb): 20 e 21 de dezembro

Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj): 13 de dezembro

Universidade Estadual do Maranhão (Uema): 20 de dezembro

Universidade Estadual do Amapá (Uepa): 13 de dezembro

Universidade Estadual do Pará (Uepa): 13 de dezembro

Universidade Estadual de Goiás (UEG): 13 de dezembro

Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste): 13 de dezembro

Faculdade Tecnológica de São Paulo (Fatec): 13 de dezembro

Universidade Estadual Paulista (Unesp): sem data definida

Institutos Federais

Instituto Federal Sul-Rio-Grandense: 22 de novembro

Instituto Federal do Sul de Minas Gerais: 12 e 13 de dezembro

Instituto Federal do Norte de Minas Gerais: 20 de dezembro

Instituto Federal de Pernambuco: 13 de dezembro

Instituto Federal do Sertão Pernambucano: 13 e 14 de dezembro

Militares:

Escola de Especialistas de Aeronáutica (EAGS): sem data definida

Particulares:

Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EESP): sem data definida

08
out
09

Cursinho achou que proposta era brincadeira

deu na folha de s.paulo

Oferta foi feita sete dias depois de uma das provas ter sido furtada da gráfica; CPV diz que negociante parecia ter pressa

Segundo diretor do CPV, contato foi feito por meio da editora do grupo, através de telefonema na segunda-feira da semana passada

O curso pré-vestibular CPV, da cidade de São Paulo, foi procurado no último dia 28 por um homem que afirmava ter as duas provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). A oferta, por R$ 200 mil, foi feita cinco dias antes da data prevista para a realização do exame.

De acordo com Alexandre Chumer, diretor de comunicação do cursinho (que tem cerca de 600 alunos), o contato do suposto vendedor foi feito através da editora do grupo.

O representante de vendas da editora recebeu um telefonema na segunda-feira da semana passada. Primeiro, diz Chumer, o homem ofereceu as duas provas por R$ 200 mil. Diante da recusa em comprar o exame, o homem baixou o preço para R$ 50 mil. A oferta foi novamente recusada.

“Fora toda a questão ética, temos poucos alunos fazendo o Enem. Nem seria interessante para a gente”, disse Chumer.

A Polícia Federal já indiciou cinco pessoas sob suspeita de envolvimento no furto e na tentativa de venda das provas, por R$ 500 mil, para jornalistas. Esse grupo, segundo a PF, furtou o exame nos dias 21 e 22, durante a fase de manuseio do material -que se segue à impressão. Três dos acusados trabalhavam para o consórcio Connasel, que era responsável pela impressão, distribuição e aplicação das provas.

O contato desse grupo com os jornalistas foi feito no dia 29. No dia 1º, quando “O Estado de S.Paulo” divulgou que a prova havia vazado, o MEC cancelou o exame e agora o remarcou para os dias 5 e 6 de dezembro.

07
out
09

Nova data do Enem coincide com vestibulares; MEC negocia com reitores

Deu na Folha Online:

MEC (Ministério da Educação) anunciou nesta terça-feira que a nova prova do Enem (Exame Nacional de Ensino Médio) ocorrerá nos dias 5 e 6 de dezembro. A data, no entanto, coincide com o calendário de outros vestibulares do país, incluindo de universidades que irão utilizar a nota do exame para sua seleção, como a UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina).

A prova, que deveria ter sido aplicada nos dias 3 e 4 deste mês, foi suspensa após o conteúdo das questões vazar. O MEC avaliava remarcar a prova nos dias 28 e 29 de novembro ou 5 e 6 de dezembro, sendo que a nova data foi anunciada pelo ministro Fernando Haddad (Educação) após reunião com outros ministros.

Após o anúncio, o ministro informou que já entrou em contato com os reitores das universidades federais de Juiz de Fora (MG), de Santa Catarina e com a UNB (Universidade de Brasília), cujos vestibulares coincidem com a nova data do Enem. Segundo o ministro, os três reitores aceitaram mudar as datas de seus exames.

O ministério informou ainda que entrará em contato com as demais universidades cujo vestibular terá choque de datas com o Enem.

Algumas universidades cuja data do vestibular coincide com a nova prova do Enem são:

UFSC: realiza provas nos dias 6, 7 e 8 de dezembro.

UNB: os candidatos avaliados pelo PAS (Programa de Avaliação Seriada) fariam a prova nos dias 5 e 6 de dezembro, porém, a entidade informou hoje, por meio de sua assessoria, que a data da prova do PAS foi adiada para os dias 12 e 13 do mesmo mês.

UEL (Universidade Estadual de Londrina): realiza provas nos dias 6 e 7 e 8 (habilidades específicas, segunda fase).

Unesp (Universidade Estadual Paulista): realiza provas de habilidades dos cursos do Instituto de Artes de São Paulo e da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação de Bauru entre os dias 6 a 9 de dezembro.

UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora): primeira etapa do vestibular marcado para o dia 6 de dezembro.

UFC (Universidade Federal do Ceará): segunda etapa do vestibular marcada para ocorrer entre os dias 6 e 7 de dezembro.

Exame

De acordo com Haddad, a partir desta quarta (7), o aluno poderá mudar o local da realização da prova. O horário do exame está mantido, com início às 13h.

O novo Enem será realizado por uma força-tarefa formada pela Fundação Cesgranrio e pelo Cespe, ligado à UnB (Universidade de Brasília), que vão substituir o Connasel, consórcio que havia vencido a licitação para impressão, distribuição e correção do Enem. O ministério anunciou na segunda-feira (5) o rompimento do contrato por conta do vazamento da prova.

Reformulado neste ano, o Enem será a única forma de seleção em parte das 55 universidades federais. O exame é usado por federais também para substituir a primeira fase do vestibular, para compor a nota e nas vagas que sobrarem.

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) decidiu não utilizar a nota do Enem em seu vestibular. Isso porque o Inep deveria entregar o resultado das notas à universidade até 30 de novembro, o que não será possível devido à nova data do exame.

06
out
09

Enem – O efeito cascata do vazamento

Deu em O Globo

Enem pode ficar para dezembro, atrasando vestibulares e até o ano letivo em 2010

De Leila Suwwan e Demétrio Weber:

O Ministério da Educação anuncia amanhã as novas datas das provas do Enem, que poderão ser marcadas para o último fim de semana de novembro ou o primeiro de dezembro.

O atraso na realização do Enem, que atinge mais de 4 milhões de estudantes, vai provocar um efeito cascata, adiando também o calendário de vestibulares e o início das aulas nas universidades federais do país em 2010.

As instituições federais apresentaram ontem ao MEC a disposição de postergar em até 15 dias as datas de matrícula para o primeiro semestre do ano que vem, devido ao atraso.

O exame deveria ter sido feito no último fim de semana, mas foi adiado na quinta-feira, após o vazamento das provas.

O presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Alan Barbiero, e o presidente do conselho de escolas técnicas, Paulo César Pereira, disseram ao ministro da Educação, Fernando Haddad, que os reitores aceitam fazer ajustes nos calendários, desde que isso não comprometa o semestre letivo. Cada universidade decidirá de forma autônoma.

02
out
09

Professores recomendam estudar; tire suas dúvidas sobre Enem

SÃO PAULO – Apesar do atraso da prova do Enem, devido à divulgação da prova na quarta-feira, 30, as universidades tentarão aproveitar a nota do exame em seus vestibulares, e o contepudo cobrado na prova é o mesmo dos exames de seleção das grandes universidade. Portanto, a recomendação de professores de cursinho é que o aluno continue estudando.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, aconselhou “usar o tempo para continuar se preparando para os vestibulares, para o próprio Enem, da mesma forma que fariam em qualquer outra circunstância. Vamos ter mais umas seis semanas pela frente. É frequentar aula, atualizar-se nos jornais, continuar aplicado na leitura, manter o ritmo de trabalho e esperar a remarcação das provas”.

Abaixo, veja as principais respostas, até agora, sobre a crise criada pelo vazamento do Enem:

Quando será realizada a prova do Enem?

O Ministério da Educação não fixou uma data oficial, que deve sair nos próximos dias, mas o ministro da Educação, Fernando Haddad, mencionou um possível intervalo de 45 dias.
Quando devem sair as notas?

Em razão do adiamento, o resultado final das provas, inicialmente previsto para o dia 8 de janeiro, deve atrasar em cerca de um mês, diz o governo. Universidades que usam a nota do Enem para contar pontos em seus vestibulares podem ter acesso antecipado a alguns resultados, no entanto.
Por que o Enem ganhou tanta importância este ano?

Neste ano a prova passou por uma reformulação, mudou de formato – passando de 63 questões para 180, realizadas em dois dias – e será adotado como parte do vestibular para 42 das 55 universidades federais de todo o País.

O que fazer agora que a prova foi adiada? Estudar ou aproveitar para descansar?

Vera Lúcia da Costa Antunes, coordenadora dos Cursos Objetivo, conta que o melhor agora é esquecer o problema da prova e continuar a estudar com dedicação total. ” Não dá pra relaxar. Como a programação do Enem bate com os grandes vestibulares, basta continuar dentro do programa de estudo para provas como Fuvest e Unicamp”, diz.

O que estudar agora nesse tempo extra?

Luis Ricardo Arruda, coordenador da Unidade Tamandaré do Anglo, dá a dica: “O mais importante de cada tema, pois esse é o foco da prova do Enem. Não prestar muita atenção nas notas de rodapé.” O coordenador lembra ainda que o aluno que não souber o que estudar deve procurar o professor de cada área e pedir orientação de estudo.

Já se sabe se a prova que vazou servirá como simulado? Caso sim, quando pretendem divulgá-la?

Sim. A prova foi disponibilizada pelo governo na noite desta quinta-feira, e pode ser acessada aqui .
Ainda há como mudar o município onde realizarei a prova?

O Inep informa que não haverá prorrogação no prazo para mudança de local de prova. A data limite era essa quinta-feira, 1º, até às 12 horas.

O Enem vai coincidir com os vestibulares da Unesp (08/11), Unicamp (15/11) e Fuvest (22/11)?

A estimativa de 45 dias leva o Enem para por volta de 17 de novembro, perigosamente perto das provas dos grandes vestibulares paulistas. O coordenador geral do Etapa, Edmilson Motta, considera que uma coincidência do Enem com uma dessas provas seria “criminoso”. “Seria uma insanidade completa, o fim do mundo pedir para o aluno escolher entre a Fuvest e o Enem”, disse.

Já Vera Lúcia da Costa Antunes, coordenadora dos Cursos Objetivo, acredita que não haverá problema, mesmo com a previsão de realização do Enem em 45 dias. “Eles já têm a prova pronta, o problema agora é de logística e segurança. Acredito que antes dessa previsão de 45 dias a prova seja realizada. Se coincidir com alguma universidade, ela muda. É claro que o aluno vai querer fazer o Enem e nenhuma faculdade vai querer perder aluno”, afirmou.

As universidades pretendem alterar as datas de seus vestibulares?

Cada universidade decidirá independentemente como contornará o atraso provocado pelo Enem. É importante ficar de olho nas universidades em que está inscrito (ou em que pretende se inscrever) pois as datas poderão ser alteradas.

E como fica a situação das federais e estaduais paulistas?

A Fuvest, responsável pelo vestibular da Universidade de São Paulo (USP), pretende avaliar se o resultado da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) será considerada e usada em seu processo seletivo. A reitoria da USP informou que, por causa do adiamento do Enem, a pró-reitoria de graduação e a Fuvest vão entrar em contato com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), para verificar a possibilidade de compatibilizar os calendários e avaliar se a nota do Enem “será viável no Vestibular Fuvest 2010”. Segundo a USP, os candidatos vão ser informados antecipadamente caso ocorra alguma alteração.

Já a Fundação Vunesp, que organiza o vestibular da Unesp informou, por meio de nota, que vai aguardar pela definição da nova data da prova do Enem para se manifestar sobre possíveis mudanças no calendário do vestibular deste ano. Segundo a Vunesp, os candidatos a vagas nos cursos oferecidos pela Unesp serão informados com antecedência caso ocorra alguma alteração.

Também por meio de nota à imprensa, a Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp (Comvest), responsável pelo vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), informou que vai esperar pelo anúncio das novas datas de provas e da disponibilização das notas do Enem. Na Unicamp, a nota do Enem tem peso de 20% na primeira fase do processo seletivo.

Já a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) informou que vai manter o calendário previsto para o vestibular e que o adiamento do Enem não vai afetar o processo seletivo em nenhum dos dois modelos aplicados pela instituição: o unificado (que é o vestibular em fase única com a nota do Enem, e que é aplicado em 19 cursos ministrados na instituição) e no misto (que computa a nota do Enem, mais o resultado de uma prova e mais uma segunda fase de seleção e que é aplicado em sete cursos). Segundo a Unifesp, as provas da segunda fase serão realizadas nos dias 17 e 18 de dezembro deste ano e vão contar com questões de língua portuguesa, língua estrangeira, redação e conhecimentos específicos.

Na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a assessoria de imprensa informou que, em princípio, não haverá alteração na programação do processo seletivo. A nota do Enem vale 50% da nota final do vestibular da instituição. Os outros 50% correspondem às provas que são aplicadas pela UFSCar.

A Universidade Federal do ABC decidiu que não haverá alterações em seu calendário.
Os pontos do Enem ainda vão ser aproveitados para compor a nota de outros vestibulares?

Cada universidade terá de decidir como pretende proceder. Além da questão da segurança da prova há o problema dos prazos – a nova data de divulgação dos resultados do Enem poderá conflitar com o calendário de liberação de listas de aprovados das escolas.
O meu desempenho pode ser afetado por essa mudança?

Além da possibilidade do Enem ser realizado em datas próximas a vestibulares importantes, adiar o exame além dos 45 dias previstos também poderá ser um problema para o vestibulando.
É no final do ano que se concentram a maior parte dos vestibulares, o que acaba sobrecarregando o aluno. “Fazer o Enem no meio de várias outras provas é exaustivo, desumano. Cai a produtividade e, consequentemente, o resultado do aluno”, conta Arruda.

“O ideal seria mesmo que o Enem já acontecesse agora em outubro, antes dos outros vestibulares, até porque o aluno teria uma experiência de um grande vestibular”, disse Motta.
(Com Giovanna Montemurro, do estadao.com.br e Agência Brasil)

02
out
09

Maioria das universidades vai manter datas de seleção

USP e Unicamp, por exemplo, não farão alterações no calendário para escolha de alunos
SÃO PAULO – Consultadas pela reportagem do Estado, a maior parte das universidades que aderiram ao Enem como forma de seleção para o vestibular informou ontem que o cancelamento da prova, a princípio, não altera o calendário de exames. As instituições aguardam posicionamento do Ministério da Educação (MEC) sobre a nova edição do exame nacional.

As principais universidades públicas paulistas, USP, Unicamp, Unesp e Unifesp não preveem alterações até agora e prometem avisar aos alunos com antecedência sobre eventuais mudanças no cronograma. No entanto, a Fundação Getúlio Vargas pretende alterar o calendário do vestibular na próxima semana.

No Rio, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) suspendeu temporariamente as inscrições de seu processo seletivo ontem de manhã. A reitoria não quis se manifestar sobre o assunto. Segundo o ministério, 24 universidades federais aderiram à prova como forma única de seleção.

De um total de 21 universidades que responderam questionamentos da reportagem ontem, apenas 5, a Universidade Federal do Amazonas, a Universidade Tecnológica do Paraná, a Universidade Federal de Pernambuco, a Universidade Federal de Rio Grande e a UFRJ já confirmaram ontem alterações nos calendários.

A Universidade Federal de Goiás anunciou que pretende cancelar o uso do exame.

Em nota, a Associação Nacional dos Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) informou que os processos seletivos das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) serão realizados “com a qualidade e segurança tradicionais.” “A Andifes advoga também a completa apuração dos fatos, visando a segurança e idoneidade dos processos seletivos”, ressaltou a nota.

Discussões

Parte das universidades, no entanto, discute soluções, antes mesmo da decisão do MEC sobre um novo exame. Na hipótese de ocorrer uma incompatibilidade de datas do vestibular com o Enem, a Unesp, que utiliza 10% da pontuação do exame, pretende alterar todo o seu calendário com o objetivo de aproveitar a nota da prova nacional.

A Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest), da Unicamp, informou que a pontuação obtida pelo candidato no exame nacional só será aproveitada no vestibular se o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgar a pontuação dos candidatos até o dia 30 do mesmo mês.

A Universidade Federal Fluminense (UFF) considera a possibilidade de utilizar apenas as notas de seu próprio vestibular para a seleção dos novos alunos. “A segunda fase está prevista para 20 de dezembro e vai permanecer. Em último caso, o que acho que não será necessário, nós poderemos utilizar integralmente a nota da nossa primeira fase”, explicou o reitor Roberto de Souza Salles.

A pró-reitoria de direção e gestão do desenvolvimento acadêmico da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) convocou para a manhã de hoje uma reunião de emergência para tratar dos rumos de seu vestibular a partir do cancelamento da prova do Enem. “Fomos pegos de surpresa. O calendário, agora ficou comprometido”, afirmou o diretor de desenvolvimento acadêmico Carlos José Pinto.

(Alfredo Junqueira, Élida Oliveira, Lucas Frasão e Júlio Castro, especial para o Estado)




agosto 2017
D S T Q Q S S
« fev    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031